mamoplastia

Quais são os tipos de mamoplastia?

A mamoplastia diz respeito às técnicas de cirurgia plástica responsáveis por alterar a forma das mamas. Tais modificações podem ser estéticas ou reparadoras, quando se busca recuperar o formato do seio lesionado por câncer ou traumas. Existem três tipos de mamoplastia. Vamos falar sobre eles a seguir.

Tipos de mamoplastia

A mamoplastia pode ser de aumento, redução ou reconstrução. Entenda cada um dos tipos e quando são indicados.

Mamoplastia de aumento

Em primeiro lugar, a mamoplastia de aumento é uma técnica utilizada para melhorar a aparência, o tamanho e o contorno das mamas. Algumas mulheres, por exemplo, podem se submeter ao procedimento porque sentem que seus seios são muito pequenos. Outras desejam recuperar a forma dos seios após a gravidez e amamentação, ao passo que existem, inclusive, casos relacionados com a insatisfação gerada pela assimetria no tamanho da mama. O aumento do peito é realizado com implantes de silicone, que podem ser inseridos sob ou sobre o músculo. Além disso, outra questão importante é a escolha do local da incisão, que pode ser na axila, aréola ou na dobra da mama (abaixo do seio). Com efeito, o implante de próteses de silicone é um procedimento minimamente invasivo, que deixa marcas praticamente imperceptíveis. De maneira geral, este é um procedimento simples e que não oferece grandes riscos. É claro que isso irá depender do estado geral de saúde da paciente e da habilidade do médico responsável pelo procedimento. Por este motivo, antes de buscar por um cirurgião plástico, pesquise profissionais que tenham título de especialista em cirurgia plástica, no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Esse é o primeiro passo para garantir o sucesso da cirurgia.

Mamoplastia redutora

Mulheres com seios muito grandes, que passam por incômodos e dores nas costas, podem realizar a mamoplastia redutora, ou cirurgia de redução de mama. O procedimento é indicado para pacientes que sofrem com dores no pescoço, fraqueza nas costas, dormência, dentre outros incômodos causados pelo excesso de peso dos seios. A mamoplastia redutora oferece grande conforto, com a retirada de parte da gordura, excesso de pele e do tecido mamário. Mas, antes de considerar esta cirurgia, em primeiro lugar é necessário saber que existem algumas restrições após o procedimento. A primeira delas é a impossibilidade de amamentar após a redução dos seios. Com a retirada da glândula mamária, a mulher não produz mais o leite materno. Outro ponto importante é a alteração de sensibilidade da mama operada, principalmente nos casos de maior complexidade cirúrgica. Converse com um cirurgião plástico de confiança, para saber de todos os detalhes deste procedimento.

Reconstrução mamária

A reconstrução da mama é indicada para as mulheres que foram submetidas à mastectomia (retirada do seio), devido ao câncer de mama. A reconstrução, literalmente, recria o formato da antiga mama, com a “construção” de um novo mamilo, aréola e definição do contorno do peito. Apenas o aspecto físico é reconstruído. As funções da mama, como a amamentação e a sensibilidade, não são recuperadas, já que a mastectomia afeta os nervos sensoriais e a glândula responsável pela produção do leite. Geralmente, o formato da mama é recuperado com o implante de silicone. O mamilo e a aréola podem ser adaptados do seio de outra mulher ou do próprio abdômen da paciente. A reconstrução mamária é um importante instrumento para a recuperação da autoestima de mulheres que sofreram com o câncer de mama ou com lesões traumáticas na região. Quer saber mais sobre mamoplastia? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em Patrocínio.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp