Lifting facial não cirúrgico

Lifting facial não cirúrgico: conheça as vantagens da técnica

O lifting facial não-cirúrgico oferece a possibilidade de tratar a pele do rosto, deixando-a mais firme e “no lugar”, oferecendo um visual rejuvenescido e viçoso.

A técnica de lifting facial cirúrgica também tem o intuito de remover o excesso de pele do rosto, além de eliminar flacidez, rugas e similares.

Também conhecido como ritidoplastia, o procedimento é capaz de oferecer também melhoras no aspecto do pescoço, na mandíbula e até mesmo nas pálpebras.

Por ser um procedimento invasivo, exige diversos cuidados, tais como:

  • anestesia;
  • sedação;
  • pós-operatório;
  • troca de curativos;
  • alteração da rotina diária;
  • utilização de medicamentos para dor, dentre outros.

Para auxiliar pessoas que estão em busca de bons resultados e mais autoestima, mas não gostariam de passar pela mesa de cirurgia, existe a opção não cirúrgica, como mencionamos acima.

Se você deseja saber um pouco mais sobre o assunto e entender o funcionamento das técnicas que compreendem o processo, confira o material que preparamos para você abaixo.

Lifting facial não cirúrgico: como funciona?

Existem algumas formas de tratar a flacidez e as rugas sem cirurgia ou anestesia.

A utilização do ultrassom microfocado, por meio de uma máquina chamada Vithara, é uma boa opção.

O aparelho é indicado para pessoas que possuem flacidez de pele na região do pescoço, olhos e face como um todo.

De forma simplificada, o procedimento visa atingir camadas abaixo da superfície da pele, fazendo com que o músculo afetado passe por contração imediata.

Dentro de aproximadamente três meses – embora muitas pessoas vejam diferença depois da terceira semana -, o paciente verifica mudanças significativas na estrutura do rosto, que também é estimulado a produzir mais colágeno.

As áreas tratadas podem ficar um pouco inchadas, com hematomas ou sensação de formigamento. 

Há quem relate uma leve dor muscular. Tais sintomas, no entanto, tendem a passar muito depressa.

Existem outras formas de lifting facial não cirúrgico?

Para quem está em busca de efeitos de rejuvenescimento interessantes, é possível contar também com a ajuda da toxina botulínica, o famoso Botox.

A toxina em questão, quando aplicada, promove um efeito de relaxamento em músculos que são frequentemente contraídos – como os da testa.

Esse “congelamento” muscular faz com que o rosto fique mais uniforme e diminui de forma muito visível a existência de rugas e pés de galinha.

Para quem deseja tratar o bigode chinês (marcas de expressão nos cantos da boca), a melhor opção não é a toxina botulínica, mas o ácido hialurônico.

Ambos os compostos são aplicados por meio injetável, em ambiente seguro. 

A dor costuma ser bastante aceitável e boa parte dos pacientes consegue lidar com o procedimento sem a utilização de anestésicos tópicos.

Como saber qual é o melhor tratamento para mim?

A melhor opção é sempre consultar um especialista, para que ele possa verificar as queixas, possibilidades e características do paciente em questão.

Pessoas com problemas de cicatrização, doenças neuromusculares, diabetes, grávidas ou com enfermidades que interferem no sistema imunológico nem sempre podem ser submetidas a procedimentos clínicos.

É dever do médico consultar o histórico do paciente e verificar as possibilidades de atender às suas demandas sem, claro, prejudicá-lo de qualquer forma. Por isso, consulte um cirurgião plástico para verificar a possibilidade de realizar o lifting não cirúrgico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em Patrocínio!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp