Fios de sustentação

Fios de sustentação: saiba como o procedimento é realizado

Os fios de sustentação fazem sucesso entre pessoas que estão em busca de alternativas inteligentes, pouco invasivas e duradouras para casos iniciais de flacidez causados pelo avanço da idade.

O procedimento, que costuma ser indicado para pessoas a partir dos quarenta anos, não costuma causar quadros significativos de dor. Tampouco provoca rejeição – assim, ganha pontos por segurança e bem-estar, em comparação a uma série de outros tratamentos estéticos para rejuvenescimento.

Se você deseja saber um pouco mais sobre a sua forma de aplicação, fique por aqui. Confira o material que preparamos abaixo.

Antes de tudo: o que são fios de sustentação?

São literalmente fios, de espessura bastante fina, que auxiliam no processo de rejuvenescimento e no combate à flacidez do rosto.

Produzidos com materiais que são bem aceitos pelo organismo, são colocados no tecido subcutâneo e atuam de maneira a causar tração na pele e a estimular a produção de colágeno.

Como é feito o procedimento?

Por se tratar de um tratamento estético pouco invasivo, não é necessário que o paciente seja submetido à sedação, anestesia total ou internação.

A colocação dos fios é feita em consultório médico – sempre por um especialista em cirurgia plástica -, com anestesia local.

Para inserção dos mesmos, o médico utiliza uma microcânula, a qual faz pequenas incisões nas áreas que serão tratadas. Os fios são então colocados.

A quantidade de fios a serem utilizados varia muito de acordo com o caso. Em geral, são colocados de quatro a oito.

O que fazer após a colocação de fios de sustentação?

Como já comentamos, não há necessidade de internação ou de utilização de anestesia geral. Assim, o paciente está liberado para ir embora ao final da consulta.

Dada a sua natureza, a colocação dos fios de sustentação pode provocar edema, hematomas e avermelhamento da pele. Quadros de dor podem acontecer, mas costumam ser muito brandos e passageiros.

Recomenda-se aos pacientes que façam compressas de água gelada sobre a área tratada pelos primeiros dois dias e que não façam uso de medicação sem prescrição médica.

Outros cuidados incluem:

  • Dormir de barriga para cima por pelo menos um mês, para não forçar a região dos músculos do rosto;
  • Evitar grande movimentação muscular facial por dois ou três dias;
  • Não fazer massagens, procedimentos odontológicos, esportes radicais ou de contato e similares por cerca de um mês, até que os edemas tenham cessado e o médico libere o retorno às atividades citadas;
  • Evitar bebidas alcoólicas, alimentos ricos em gordura e pobres em nutrientes e cigarro, uma vez que todas essas coisas aceleram o processo de envelhecimento;
  • Não se expor ao sol diretamente por cerca de um mês ou até que o especialista libere. A utilização de protetor solar de fator alto diariamente é fundamental.

Em quanto tempo verei resultados?

A tendência é ver melhoras especialmente a partir da segunda semana de colocação, quando o inchaço já cedeu.

A durabilidade dos fios, por sua vez, é de aproximadamente um ano e meio. Depois disso, pode ser necessário recolocá-los.

Como foi comentado em parágrafos anteriores, o procedimento é excelente para a estimulação de colágeno. 

Assim, mesmo que o paciente opte por não refazer os fios, terá melhora no aspecto da pele e na flacidez mesmo depois da absorção do material utilizado.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em Patrocínio!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp